1. O que pode incluir um contrato de Aluguer Operacional?

    R: Pode incluir os seguintes serviços: manutenção programada, preventiva e correctiva, IPO, gestão de seguros, danos no veículo em sinistro, pneus, veículo de substituição, gestão do combustível e gestão de via verde.

  2. Após encomenda de um veículo é possível anular a encomenda? Quais as consequências?

    R: Para anular uma encomenda, deverá ser solicitado por escrito à Finlog, indicando os motivos. A Finlog analisará quais os custos envolvidos ou que venham a incorrer e que não possam ser revertidos, como por exemplo, eventuais indemnizações ao Fornecedor, eventuais compras de acessórios já efetuadas, etc. Só será responsável por esses custos, devidamente comprovados pela Finlog, acrescido do custo de cancelamento da encomenda que consta no Preçário.

  3. O que é o Auto de Receção?

    R: O Auto de Receção é o documento que especifica como o veículo foi entregue pela Finlog, ou por um intermediário, ao Cliente, nomeadamente a data em que o veículo foi entregue, quantos km tinha, que pneus estavam montados no veículo, que documentação e equipamento foi entregue ao utilizador, etc.

  4. Porque necessito assinar o Auto de Receção?

    R: Ao assinar o Auto de Receção o utilizador está a dar a sua concordância aos dados aí inscritos.

  5. É possível alterar as condições contratuais de aluguer do veículo?

    R: Sempre que pretender alterar as condições contratuais, deverá solicitá-lo por escrito à Finlog, indicando as variáveis a corrigir, que poderá ir de uma simples alteração de prazo e/ou km, até à inclusão ou exclusão de serviços adicionais. A Finlog apresentará uma proposta com as novas condições e a nova renda. Mediante aceitação, essas condições serão alteradas de imediato. Será de referir que a alteração de renda poderá ter efeitos retroativos ao início do contrato, ou afetar apenas as rendas futuras, dependendo da decisão da Finlog sobre o método aplicável.

  6. O contrato pode terminar antes do seu termo?

    R: Sim

  7. Em que circunstâncias?

    R1:Por iniciativa do cliente desde que o mesmo esteja em vigor há pelo menos 12 meses e mediante comunicação por carta registada com aviso de recepção com antecedência mínima de 60 dias.

    R2:Após percorridos os quilómetros máximos contratados.

  8. Quais as consequências financeiras do termo antecipado do contrato?

    R: Há duas consequências: acerto quilométrico e comparação entre valor não amortizado da viatura e valor comercial.

  9. Como se acertam os quilómetros?

    R: Comparando os quilómetros reais à data do termo com os quilómetros pro rata temporis contratados.

    Exemplo:

    Km Contratados 100.000
    Prazo do Contrato 48 Meses
    Prazo Decorrido 30 Meses
    Km Reais 70.000
    Km + 0,05 €
    Km – 0,02 €
    Km Pro Rata Temporis 62.500

    Valor a Pagar = (70.000 Km – 62.500 Km) x 0,05 € = 375,00 €

    Caso os quilómetros efetivamente percorridos excedam em 20% os quilómetros contratados, o valor total de acerto de quilómetros será multiplicado por 1,5.

  10. Como se fazem os acertos de valor não amortizado?

    R: Comparando o valor não amortizado da viatura com o valor comercial da mesma.

    Exemplo:

    Valor não Amortizado 15.000 €
    Valor Comercial à Data 12.000 €

    Valor a Pagar = 15.000 € – 12.000 € = 3.000,00 €

    No caso de o contrato terminar por exceder os quilómetros máximos ou por iniciativa do cliente acresce uma penalidade de 5% sobre o Valor não Amortizado, sendo que o valor a pagar terá sempre como limite máximo 40% das rendas vincendas.

    Exemplo com Penalidade:

    Valor não Amortizado 15.000 €
    Valor Comercial à Data 12.000 €
    Renda Total Mensal 500 €
    N.º Rendas Vincendas 10 €

    Valor a Pagar c/ Penalidade de 5% = (15.000 € – 12.000 €) + 0,05 x 15.000 € = 3.750,00 €

    Valor a Pagar de 40% das Rendas Vincendas = 10 x 500 € x 0,4 = 2.000,00 €

    Assim sendo, o valor a pagar será de € 2.000,00 e não € 3.750,00.

  11. Em caso de termo antecipado também se verificam os danos da viatura?

    R: Sim. Em todas as situações de termo de contrato (antecipada ou não) têm de ser verificados os danos da viatura por uma entidade externa e independente que formaliza a restituição do veículo.

  12. É possível prolongar o contrato?

    R: Sim.

  13. Como fazer para prolongar o contrato?

    R: Deverá contactar a Finlog até um mês antes de terminar o prazo do contrato no sentido de rececionar a proposta de prolongamento para o prazo pretendido.

  14. O que acontece quando termina o contrato após o prazo contratado?

    R: É realizada uma peritagem à viatura, por uma entidade externa e independente, por forma a apurar os quilómetros reais e os danos da viatura.

  15. Como se faz quando a viatura apresenta quilometragem superior à contratada?

    R: Até 20% acima da quilometragem contratada debita-se o custo por Km+ indicado no contrato individual da viatura. Caso os quilómetros efetivamente percorridos excedam em 20% os quilómetros contratados, o valor total de acerto de quilómetros será multiplicado por 1,5.

    Exemplo até 20% acima da quilometragem contratada:

    Km Contratados 100.000
    Km Reais 110.000
    Km + 0,05 €

    Valor a Pagar = (110.000 Km – 100.000 Km) x 0,05 € = 500 €

    Exemplo superior a 20% da quilometragem contratada:

    Km Contratados 100.000
    Km Reais 125.000
    Km + 0,05 €

    Valor a Pagar = (125.000 Km – 100.000 Km) x 0,05 € x 1,5 = 1.875 €

  16. E no caso de a viatura apresentar quilometragem inferior à contratada?

    R: Até 20% abaixo da quilometragem contratada credita-se o custo por Km- indicado no contrato particular da viatura.

    Exemplo superior a 20% da quilometragem contratada:

    Km Contratados 100.000
    Km Reais 60.000
    Km – 0,02 €

    Valor a Pagar = (80.000 Km – 100.000 Km) x 0,02 € = 400,00 €

  17. Em caso de sinistro, tenho de pagar alguma coisa?

    R: Se tiver um sinistro da responsabilidade de um terceiro, não tem de liquidar nada, porque a Seguradora do terceiro assumirá toda a reparação do sinistro. Mas, se o sinistro não for da responsabilidade de um terceiro, ou for de responsabilidade conjunta, então terá de liquidar a franquia, cujo valor está indicado na proposta e no contrato de aluguer. Caso a reparação do sinistro seja inferior à franquia, então deverá liquidar o valor integral da reparação.

  18. O valor da franquia é sempre o mesmo?

    R: Não. O valor da franquia indicado no Contrato de Aluguer será fixo até ao 3º sinistro cuja responsabilidade não seja de terceiros. Como exemplo, imaginemos que teve três sinistros de sua responsabilidade e a franquia é de € 250. Significa que liquidou € 250 por cada sinistro que teve (assumindo que os danos eram superiores a esse valor). No 4º sinistro que tiver de sua responsabilidade, a franquia que terá de liquidar será de € 500, um eventual 5º sinistro de sua responsabilidade terá uma franquia de € 1.000 e assim sucessivamente. Obviamente que só terá de liquidar esses valores se a reparação for de valor superior, senão liquidará o valor da reparação.

  19. E no caso de franquia 0% o valor também agrava?

    R: Sim. O valor da franquia indicado no Contrato de Aluguer será fixo também até ao 3º sinistro cuja responsabilidade não seja de terceiros. Como exemplo, imaginemos que teve três sinistros de sua responsabilidade e a franquia é de 0%. Significa que não liquidou qualquer valor por cada sinistro que teve. No 4º sinistro que tiver de sua responsabilidade, a franquia passará para 2% sobre o PVP s/ IVA indicado na Proposta de Aluguer Operacional,que a título de exemplo poderá ser de € 500. Num eventual 5º sinistro de sua responsabilidade terá uma franquia de € 1.000 e assim sucessivamente. Obviamente que só terá de liquidar esses valores se a reparação for de valor superior, senão liquidará o valor da reparação.

  20. Como efetuar um seguro para o veículo com outra Seguradora?

    R: No momento da negociação deverá informar o Gestor Comercial da Finlog que não pretende incluir o seguro no valor da renda. Antes de efetuar o levantamento da viatura, deverá solicitar à Finlog a informação da entidade que deverá ter os direitos ressalvados e a informação do valor do veículo para efeitos de danos próprios. Após a receção dessa informação, deverá entregar na Finlog declaração própria da Seguradora a informar o tipo de seguro contratado com os direitos ressalvados à entidade indicada. Não esquecer que o seguro de Responsabilidade Civil deve ser celebrado pelo valor máximo disponível no mercado segurador automóvel – neste momento é de € 50.000.000 – e que a cobertura de Danos Próprios deverá ter uma franquia máxima de 4% sobre o valor do veículo indicado.

  21. O que acontece quando um sinistro é declarado Perda Total pela Seguradora?

    R: Com a declaração da Seguradora, de que o veículo é uma “perda total”, o contrato de aluguer cessa, com efeitos à data da comunicação da Seguradora. A indemnização da Seguradora servirá para compensar a Finlog pela perda do seu veículo. A Finlog efetuará o apuramento de contas final, relativamente ao mês de aluguer utilizado, a diferença de quilómetros registados, o eventual acerto do IUC e outros danos.

    Caso esteja a usufruir de um veículo de substituição por sinistro, deverá devolvê-lo à Finlog porque com a cessação do contrato de aluguer, a substituição deixa de ser devida. Por fim, caso pretenda, poderá encomendar um novo veículo de forma a substituir o veículo perdido.

  22. Os objetos pessoais estão cobertos pelo seguro?

    R: Não. Os objetos pessoais não estão cobertos pelo seguro.

  23. Quantos pneus contratar num contrato de Aluguer Operacional de Viaturas (AOV)?

    R: Por norma, a Finlog preconiza a contratação de um jogo de pneus (4 unidades) por cada 40.000 Km, mas é uma decisão do cliente e poderá ser diferente. Ao contratar um número fixo de pneus, a Finlog obriga-se a substituir os pneus, até ao número contratado. Se, por exemplo, forem contratados até 8 pneus e forem consumidos 6 ao longo do contrato, a Finlog não devolverá os 2 pneus não consumidos. Pretendendo um serviço mais completo, poderão ser contratados pneus ilimitados.

  24. Em caso de sinistro cujos danos obriguem à substituição dos pneus, esses pneus são deduzidos da quantidade contratada?

    R: Não. A quantidade de pneus contratada é válida para a substituição por motivo de desgaste. No caso da substituição ser devida por sinistro, que obrigatoriamente terá de ter outros danos que não somente os pneus, esses pneus serão substituídos no âmbito do sinistro.

  25. No caso de pneus ilimitados estes poderão ser trocados sempre que o utilizador quiser?

    R: Não. A substituição é feita de acordo com critérios de segurança e de respeito pela legislação vigente. Só em caso de estarem em causa os critérios indicados é que os pneus serão substituídos.

  26. Que serviços estão associados à contratação de pneus?

    R: Ao contratar o serviço de pneus, terá direito ao alinhamento de direção, à calibragem e às válvulas de todos os pneus substituídos. Terá também direito à reparação dos furos, sempre que esta seja viável.

  27. Como contratar e acionar o serviço de Veículo de Substituição?

    R: O serviço de veículo de substituição pode ser contratado isoladamente ou em conjunto, para a imobilização do seu veículo em caso de revisões, avarias, sinistros ou furto/roubo. No momento da contratação, deverá ser indicado o tipo de veículo de substituição pretendido, pois poderá ir desde um simples utilitário até a um veículo de luxo, além de diversas opções em veículos comerciais. Existe igualmente a possibilidade de contratar o veículo de substituição em quantidade ilimitada, ou limitado a um nº de dias por ocorrência (neste caso será 2 dias para revisão, 15 dias para avaria, 30 dias para sinistro e 60 dias para furto ou roubo). Este serviço poderá ser activado sempre que tenha uma imobilização prevista superior a 3 horas, neste caso deverá ser solicitado no momento da ocorrência que originou a necessidade do veículo de substituição.

  28. Que cuidados a ter com a activação do serviço de combustível?

    R: O principal cuidado deverá ser o de guardar sempre o cartão de combustível e nunca guardar o PIN junto ou próximo do cartão. O PIN é exclusivamente do conhecimento do utilizador, pelo que, qualquer consumo que tenha sido validado pelo conjunto cartão + PIN será de sua responsabilidade. Deverá haver igualmente o cuidado de avisar de imediato, e por escrito à Finlog, no caso da perda ou roubo do cartão. Nunca esquecer que o utilizador será responsável pelos consumos ocorridos até ao 3º dia útil após a comunicação da perda ou furto. Por fim, convém não esquecer de que, quando pretender anular o serviço, seja durante o período contratual ou no final do contrato quando devolver o veículo, deverá inutilizar o cartão (o ideal será cortar a meio da banda magnética) e devolvê-lo à Finlog.

  29. Quais os cuidados a ter com a inclusão do serviço de Via Verde?

    R: Ao subscrever o serviço de Via Verde, a Finlog enviará para a morada do cliente um identificador Via Verde para ser colocado no veículo. Apesar de ser cobrado um fee de adesão ao serviço Via Verde, a propriedade do identificador será sempre da Finlog. Deverá ser instalado com cuidado e de forma correta no pára-brisas do veículo.

    No caso de o identificador ser perdido ou roubado, a Finlog deverá ser avisada de imediato, e por escrito, pois será da responsabilidade do utilizador todos os consumos efetuados com o identificador até ao 3º dia útil após a comunicação.

    No termo do contrato de aluguer ou em caso de anulação do serviço antecipadamente, deverá ser devolvido o identificador à Finlog, para que o serviço seja concluído com sucesso.

  30. Como se processa a indexação das rendas?

    R: No caso de opção por alugueres indexados, a renda poderá sofrer alterações em virtude da variação do indexante ao longo do período do contrato. Exemplo: Contrato de Aluguer com data início em 02/01/2012, com uma taxa de juro de 5%, indexado à Euribor a 12 meses. O valor da Euribor a 12 meses do dia 02/01/2012 era de 1,937%, que arredondada ao 1/8 de ponto percentual inferior, deu 1,875%. Como no dia 02/01/2013, a mesma Euribor a 12 meses era de 0,543%, que arredondada ao 1/8 de ponto percentual superior, deu 0,625%. A diferença entre as duas taxas é superior a 0,5% (1,875 – 0,625 = 1,25%), portanto a renda seria recalculada, com uma taxa de juro de 3,75% (5% – 1,875% + 0,625%).

  31. O Imposto de Circulação (IUC) está incluído na renda mensal?

    R: Sim. Esse é um dos impostos que está incluído.

  32. Porquê que o Contrato-Quadro especifica que o IUC (Imposto Único de Circulação) será alvo de acerto?

    R: O IUC não é um valor fixo e pode sofrer variações significativas, de acordo com a legislação anual. Para evitar prejuízos inesperados para ambas as partes, a Finlog fará o acerto das variações do IUC.

  33. Como deverá ser efectuada a devolução do veículo?

    R: No final do contrato, a devolução do veículo deverá ser acompanhada pelos seguintes documentos:

    • Documento Único Automóvel (DUA) ou Livrete e Titulo de Registo de Propriedade;
    • Original e duplicado das chaves do veículo;
    • Certificado (aprovado) de Inspecção Periódica Obrigatória (quando aplicável);
    • Livros e manuais da viatura;
    • Antena;
    • CD de Navegação (quando aplicável).
  34. O que acontece no caso de a viatura não ser entregue à Finlog no final do contrato de aluguer da mesma?

    R: Convém acautelar sempre este tipo de situações, solicitando à Finlog a reformulação ou prolongamento do contrato de forma antecipada. Assumindo que não o fez, os dias que utilizar o veículo após a data de termo serão debitados ao preço de aluguer diário (vulgo rent-a-car) de um veículo de categoria e período equivalentes. O preço do aluguer diário da Finlog poderá ser consultado no Preçário anexo ao Contrato-Quadro.

  35. No caso de devolução da viatura à Finlog com bastante sujidade, o técnico pode recusar-se a efetuar o Auto de Restituição?

    R: Sim, em casos extremos é possível. O Auto de Restituição é o documento que especifica de forma exaustiva o estado da viatura no momento da restituição, nomeadamente danos, km, documentação e equipamento acessório entregue, etc. Se a viatura for restituída com bastante sujidade interior ou exterior, poderá não ser possível elaborar o Auto de Restituição com o rigor necessário de forma a evitar débitos errados. Assim, deverá ser sempre restituída a viatura lavada e totalmente limpa.

  36. Onde obter o preçário atualizado e o manual de condutor Finlog?

    R: Poderão ser solicitados à Finlog o envio desses documentos por correio, ou poderão ser consultados e descarregados no portal www.finlog.pt.

  37. Que cuidados a ter com a viatura nas deslocações ao estrangeiro?

    R: Deve haver especial cuidado em verificar se o seguro – seja da Finlog ou contratado à sua Seguradora – tem extensão territorial para o país que se desloca. Não havendo, deverá ser solicitado à Finlog ou à sua Seguradora a extensão territorial para o efeito, de forma a precaver eventuais sinistros sem seguro válido. Também deverá ser verificado se a viagem coincidirá com a necessidade de alguma intervenção oficinal, seja mecânica, seja de troca de pneus. No caso de coincidir, deverão ser contatados os serviços da Finlog de forma a agendar antecipadamente as intervenções. Por fim, estar sempre munido do número telefónico da Assistência em Viagem e do número Finlog Assistência 24 (+351 220 102 200), por forma a contar sempre com o nosso apoio em caso de necessidade.